MUDE SEUS HÁBITOS E VIVA MELHOR

Comece pela despensa e pela geladeira: tenha em casa somente alimentos saudáveis e de baixas calorias. Não vá ao supermercado com fome para evitar exageros nas compras de alimentos.

FRUTAS, VERDURAS E LEGUMES

Aumente e varie o consumo de frutas, legumes e verduras. As frutas e as verduras são ricas em vitaminas, minerais e fibras e devem ser consumidas em todas as refeições. Sempre que possível, coma os legumes e as frutas com as cascas, para aproveitar as fibras nelas contidas.

Ao temperar suas saladas, cuidado para não abusar da maionese e dos molhos prontos, que têm muitas calorias.

Prefira frutas da época. É mais saudável, ecológico e econômico. Consuma os sucos de frutas logo após seu preparo, pois a ação do ar e da luz altera seu valor nutritivo.

As frutas são fontes de fibras, auxiliando a regulação do trânsito intestinal. Elas também são ricas em vitaminas e minerais e contribuem para o bom trabalho do sistema imunológico, para o crescimento, para o transporte de oxigênio e para o metabolismo de nutrientes.

Prepare os legumes no vapor, a fim de preservar os nutrientes. Quanto maior o contato com a água, maior será a perda de nutrientes. Quando cozinhá-los em água, reaproveite-a para preparar outros pratos, como risotos, sopas, etc.

PROTEÍNAS E FIBRAS

Proteínas são fundamentais para o crescimento, para a renovação das células e para o processo de cicatrização. Elas podem ser encontradas em carnes brancas e vermelhas, leite e derivados, ovos e legumes.

Consumir fibras diminui o risco de doenças do coração e melhora o funcionamento intestinal. Fibras podem ser encontradas em alimentos de origem vegetal (frutas e hortaliças) e integrais.

Dê preferência aos queijos brancos, pois os amarelos são mais calóricos.

Prefira sempre alimentos integrais, que são aqueles cuja estrutura não foi alterada, mantendo a integridade de seus nutrientes sem a perda de valores qualitativos e quantitativos. Eles são mais nutritivos do que os refinados, pois têm mais fibras, vitaminas e minerais retidos nas estruturas, que são removidas durante o processo de refinação.

DOCES

Se não conseguir resistir à tentação dos doces, tente substituí-los por alternativas menos calóricas. Troque doces com chantilly ou creme de leite por frutas frescas ou doces à base de frutas.

Alimentos diet e light podem enganar. Fique atento. Alimentos diet contêm gorduras e podem ser mais calóricos do que os convencionais. Os alimentos light têm menos calorias, mas nem por isso você pode comer em dobro.

GORDURAS

Reduza o consumo de alimentos gordurosos, como carnes com gordura aparente, salsicha, mortadela, frituras e salgadinhos para, no máximo, uma vez por semana. Antes do cozimento retire a pele do frango, a gordura visível da carne e o couro do peixe.

Apesar de o óleo vegetal ser um tipo de gordura mais saudável, tudo em excesso faz mal. O ideal é não usar mais que uma lata de óleo por mês para uma família de quatro pessoas. Prefira os alimentos cozidos, grelhados ou assados e evite cozinhar com margarina, gordura vegetal ou manteiga.

SAL

O sódio é um mineral presente em diversos alimentos, principalmente no sal de cozinha. No organismo, ajuda a equilibrar o metabolismo, a contração muscular, os impulsos nervosos e o ritmo cardíaco, mas o consumo excessivo de sódio provoca a liberação de alguns hormônios que causam a retenção de líquidos, aumentando a pressão sanguínea e sobrecarregando o coração. Por isso, reduza o consumo de sal e tire o saleiro da mesa.

Evite temperos prontos, alimentos enlatados, carnes salgadas e embutidos como mortadela, presunto, linguiça. Todos eles têm muito sal.

Por fim, não se esqueça de reduzir também o consumo de álcool e refrigerantes. Evite o consumo diário. A melhor bebida é a água!